Flipboard: folhear feeds é muito mais do que virar uma página

Por acaso você está pensando em comprar um iPad? Compre… Só por causa dessa belezinha: o Flipboard. Mero hype tableteiro? É bem mais que isso. Já não é mais nenhuma novidade, é certo. Mas vale a pena refletirmos um pouco.

Acompanhar o Twitter pelo browser é uma lástima: o que você acha interessante, abre em uma nova aba. O que você não lê na hora, vai deixando na aba ali aberta, por dias à fio. Uma hora que você junta 20 abas, várias delas com vídeos e banners, e seu browser acaba engripando, de uma forma tão murphiniana que perderá até mesmo a restauração das abas.

Outra opção é marcar o Tweet como favorito. Ou seja, além de ter que lidar com a avalanche de Tweets recém-postados, terá de se preocupar também com os antigos. A experiência fica muito fragmentada, e pouco produtiva.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=LDARc7jhM8U?rel=0]

O Flipboard melhora isto, transformando o reader em uma experiência tipo “revista”, aonde você folheia feeds, Tweets ou posts do Facebook. Se a página do link citado tem uma foto, ela vem para o preview, assim como um snippet. Quer ler integral? Então abra a página. Dali, você pode compartilhar ou até mesmo abrir diretamente no browser.

Os pageflips anteriores meramente reproduziam impressos. Era uma experiência que se perdia na transição para a new media. O Flipboard inovou ao não dispor o conteúdo, mas apenas o feed. Você folheia com boa produtividade e permite abrir na própria interface o conteúdo que deseje aprofundar. No Twitter, você tem que abrir numa nova aba e fragmentar a experiência, coisa improdutiva, julgo eu. Paramos de meramente macaquear os impressos, e adicionamos experiência.

Lembro quando aconteceu o lançamento do Samsung Galaxy SIII, e um dos diferenciais era que finalmente o Flipboard estava indo para o Android, mas como um app exclusivo. Bom, estava, até que alguém extraiu o .APK do Galaxy SIII e disponibilizou para download. Não vem a ser pirataria, já que o Flipboard é gratuito.

Bom, agora tem gente trazendo a experiência do Flipboard para o web design. Mas claro, isto é um mero blog, enquanto o Flipboard é um news feed reader. Na hora que se somam as experiências, passa a ser muito produtivo acompanhar centenas de posts com menos fragmentação na atenção.

Acho muito válida uma experiência como a proporcionada pelo Flipboard, que adicionou produtividade quando misturou new media com old media 😉


Compartilhado originalmente na lista arqHP.

0 comentário em “Flipboard: folhear feeds é muito mais do que virar uma página”

  1. O único problema do Flipboard é que ele não remunera os publicadores de conteúdo.

    Se muita gente começar a usar o app e deixar de acessar os sites, muitos deles deixarão de oferecer seu conteúdo no app.

  2. Irapuan Martinez

    Grande verdade: Ao não renumerar os produtores de conteúdo, isto pode afugentá-los.

    Embora… Diversos veículos já se prepararam para o Flipboard, paginando o conteúdo e inserindo publicidade no meio.

  3. Irapuan Martinez

    E lembrando que o Flipboard alimenta suas “revistas” atráves de feed que sites e redes sociais fornecem. Impedir que seu conteúdo entre no Flipboard, apenas se suspender o serviço de feed.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima