Como foi o Global Accessibility Awareness Day 2018 em São Paulo

O Global Accessibility Awareness Day (GAAD) é um evento anual realizado pela UXPA-SP em todo o mês de maio, com palestras sempre relacionadas à Acessibilidade e Inclusão.

O Dia Mundial da Conscientização da Acessibilidade (Global Accessibility Awareness Day) é celebrado no dia 17 de maio com o objetivo de aumentar a conscientização a respeito da acessibilidade das pessoas com deficiência, com necessidades especiais ou limitações. Em São Paulo, o GAAD (sigla para o termo em inglês) é realizado anualmente pela UXPA-SP, sempre com palestras relacionadas à Acessibilidade e Inclusão. Esse ano, o GAAD foi realizado no auditório da Nextel, contando com as apresentações de Ana Schneider, Aline Santos e Talita Pagani.

Abaixo compartilho com vocês um pouco sobre como foi o GAAD SP 2018, com slides e depoimentos das nossas palestrantes 😀

A pessoa com deficiência como consumidor: do reconhecimento à comunicação

Palestra “A pessoa com deficiência como consumidor: do reconhecimento à comunicação” com Ana Clara Schneider no GAAD SP 2018.

Ana Clara Schneider fez uma palestra focada em identificar e expôr as causas e consequências da ausência da pessoa com deficiência nos meios de comunicação, sua consideração no desenvolvimento de uma marca ou experiência (seja ela um produto, um serviço, um conteúdo) e como isso pode começar a mudar a partir do entendimento desse quadro e da necessidade de quebrar esse ciclo.

Palestra “A pessoa com deficiência como consumidor: do reconhecimento à comunicação” com Ana Clara Schneider no GAAD SP 2018.
Palestra “A pessoa com deficiência como consumidor: do reconhecimento à comunicação” com Ana Clara Schneider no GAAD SP 2018.

Foi muito bacana e interessante falar com o público do GAAD pois as dúvidas que surgiram foram mais específicas que em outros eventos, por vezes mais técnicas e por vezes mais conceituais. É importante entender que o pensamento do design universal se aplica a quase todas as áreas e saber que o os profissionais de UX estão pensando nisso é muito animador!

Por mais que em alguns setores próximos ao assunto (por exemplo: saúde, reabilitação ou alguns serviços públicos) esse conceito não aparece com tanta frequência nos eventos de moda, esporte, tendências, social media, empreendedorismo, negócios, etc. E mais interessante é reunir especialistas do assunto para trocar conhecimento, pois ainda sofremos com a falta de informação disponível sobre o tema.

(Ana Clara Schneider)

O que a educação inclusiva tem a ver com você e a comunicação?

Palestra “O que a educação inclusiva tem a ver com você e a comunicação?” com Aline Santos no GAAD SP 2018.

A ideia da palestra da Aline Santos foi explorar o conceito de educação inclusiva e os princípios do desenho universal para a aprendizagem para definir caminhos possíveis para a construção de uma comunicação mais acessível para todas as pessoas. Conversar sobre o tema, que inicialmente parece não dialogar com a atuação de UX, é importante para apontar como a prática desses profissionais pode seguir excludente ou efetivamente contribuir para o rompimento do ciclo de invisibilidade das pessoas com deficiência.

Palestra “O que a educação inclusiva tem a ver com você e a comunicação?” com Aline Santos no GAAD SP 2018.
Palestra “O que a educação inclusiva tem a ver com você e a comunicação?” com Aline Santos no GAAD SP 2018.

Se a gente pretende construir espaços e plataformas que atendam ao maior número de pessoas, tal qual o desenho universal prega, falar sobre acessibilidade, diversidade e inclusão deveria ser uma premissa. Até quando admitiremos a criação de soluções que excluam ou invisibilizem pessoas?

(Aline Santos)

Projetando sites e aplicativos mais adequados a pessoas com autismo

Palestra “Projetando sites e aplicativos mais adequados a pessoas com autismo” com Talita Pagani no GAAD SP 2018.

Em sua palestra, Talita Pagani abordou aspectos relevantes de acessibilidade voltado para usuários que possuem autismo, abrindo com uma sensibilização sobre como a pessoa com autismo vê o mundo e procurando derrubar alguns mitos sobre o assunto que ainda são perpetuados, apresentando algumas dicas práticas de UX para que as interfaces sejam mais acessíveis e de fácil utilização para esse público, considerando suas principais características. Estas dicas foram oriundas do seu projeto de mestrado, o GAIA — Guia de Acessibilidade de Interfaces com foco em Autismo.

A palestra teve um gancho perfeito com os temas abordados pela Aline e pela Ana, porque trata-se também de comunicação mais inclusiva, de empatia e de trabalhar o tópico de Design Universal para Aprendizagem aplicado no projeto de sites e aplicativos, aliando design, educação, UX e tecnologia.

Palestra “Projetando sites e aplicativos mais adequados a pessoas com autismo” com Talita Pagani no GAAD SP 2018.
Palestra “Projetando sites e aplicativos mais adequados a pessoas com autismo” com Talita Pagani no GAAD SP 2018.

Foi gratificante abordar este tema no evento por ele ser um complemento das palestras anteriores e por difundir um assunto que ainda é pouco abordado, no caso, outras características e habilidades que as pessoas não consideram ao falar sobre acessibilidade. Quando falamos em Acessibilidade Digital, é muito comum pensarmos em permitir que os sites sejam acessíveis a pessoas com deficiência visual. Pouco se pensa sobre deficiência auditiva, motora e principalmente sobre deficiências/transtornos cognitivos, neuronais e de aprendizagem, como Autismo, Déficit de Atenção, Dislexia, Discalculia, entre outros. É preciso romper este estigma e dar visibilidade para necessidades diversas das pessoas.

É maravilhoso ver que tem crescido o volume de eventos focados em acessibilidade e com conteúdos multidisciplinares. Creio que isto é fundamental para fazer o conhecimento chegar às pessoas de forma mais compreensível e mostrar que acessibilidade não é complexo, custoso e oneroso para projetos como muitas pessoas ainda pensam. O caminho para que todos se preocupem com este tópico é educar da alta gerência ao desenvolvimento e mostrar que pessoas com características diversas e com deficiência são um público ativo e que não são invisíveis. O mais importante dos eventos é que eles mostram que acessibilidade não é caridade, é direito. E já é possível perceber que este choque de realidade tem surtido efeito dentro das empresas.

(Talita Pagani)

Resumo da Ópera

Após as palestras e o coffee-break, foi organizado um painel de discussão mais aberta entre as palestrantes, mediado pelo Clécio Bachini. Além de expandir e complementar o que foi falado nas palestras, as três responderam a diversas perguntas da platéia, fechando o GAAD SP 2018 com chave de ouro 🙂

Global Accessibility Awareness Day 2018 em São Paulo
Global Accessibility Awareness Day 2018 em São Paulo
Global Accessibility Awareness Day 2018 em São Paulo
Global Accessibility Awareness Day 2018 em São Paulo
Global Accessibility Awareness Day 2018 em São Paulo
Global Accessibility Awareness Day 2018 em São Paulo
Organização e Palestrantes do Global Accessibility Awareness Day 2018 em São Paulo

O Global Accessibility Awareness Day 2018 em São Paulo teve transmissão ao vivo, e você pode assistir a todo o meetup através do vídeo em nossa página do Facebook, que se encontra logo abaixo 🙂

https://www.facebook.com/uxpasaopaulo/videos/1663096840394256/

Essa edição do GAAD SP 2018 foi carinhosamente sediada pelo pessoal da Nextel, que contribuiu também com lanchinhos!!! Um agradecimento especial para o Daniel Lugondi pela ponte 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima