UX Design x Design de Serviços: afinal, qual a diferença?

Está chegando agora na área e não sabe a diferença entre UX Design e Design de Serviços? Então, continua lendo que a gente vai te ajudar!

quadro com diversos frames e papéis que se referem ao processo de construir design de um serviço.
Photo by NEW DATA SERVICES on Unsplash

Ainda existem muitas dúvidas sobre o que é UX Design, o que é Design de Serviços e como essas duas coisas se diferenciam. Hoje, a gente vai te ajudar a acabar com todas elas!

Se você está familiarizado com o UX Design, já leu, assistiu a vídeos, ou palestras, sabe que o trabalho de um UX Designer está diretamente ligado à pessoa usuária final (independente se ela seja um cliente, um funcionário etc) e a experiência que ela terá com o produto ou serviço específico.

Agora, chegou a hora de entender, de uma vez por todas, o que é Design de Serviços. E para isso, a gente fez esse post completinho: Design de serviços: o que é e para que serve na prática. É só clicar e ler!

Mas de forma resumida, Design de Serviços significa pensar no todo: em quem consome, quem oferece e como esse processo de produção e entrega do serviço é realizado. Garantindo, assim, que todos os pontos de contato (on ou offline) com o cliente foram mapeados e fornecem exatamente a experiência que foi desenhada.

Com esses dois conceitos mais claros, fica fácil analisar cada um e entender as diferenças, as particularidades e quando cabe o uso de cada um dentro do projeto.

UX Design x Design de Serviços

Podemos começar dizendo que enquanto o UX Design está focado na pessoa usuária e na sua experiência, o Design de Serviços é mais amplo e pensa em todas as pessoas que vão ter contato com aquele serviço: os prestadores/fornecedores, as pessoas usuárias e o próprio negócio em si. E essa diferença básica já diz muito sobre essas duas vertentes do design.

O Design de Serviços mapeia e cria a estrutura de um serviço pensando em todas as camadas e atores envolvidos. Por sua vez, o UX utiliza esse conhecimento para atuar nos pontos de contato específicos dessas camadas ou atores com uma solução para resolver seus problemas ou necessidades. E não cabe a essas pessoas dar um passo atrás e projetar um serviço completo.

Enquanto essa área tem um olhar mais técnico para o produto em si, a área de Design de Serviços tem uma visão mais holística, analisando aspectos tangíveis e intangíveis do negócio.

Nesse vídeo curtinho, a gente também compilou as principais diferenças entre UX Design e Design de Serviços. Fica fácil de gravar, assimilar e até compartilhar por aí para assistir sempre:

Agora, qual estratégia adotar?

A verdade é que você não deve escolher uma ou outra e sim entender o momento do seu projeto para poder aplicá-las. Afinal, são áreas complementares e que, combinadas, ajudam a entregar uma experiência melhor e mais atrativa para todos os envolvidos.

A partir de diferentes ferramentas, quem trabalha com Design de Serviços pode entender melhor as reais necessidades e expectativas de quem vai usar o produto final (seja ele produto ou serviço) e posicionar suas pessoas de UX Design.

Então, o primeiro passo é avaliar o momento da sua empresa, a maturidade dos serviços e os seus objetivos. Além de analisar o quão desenhado está o macro, as interações com todos as pessoas que terão contato com seu produto, para saber se é preciso redesenhar (ou começar do zero), ou se você pode trabalhar diretamente nos pontos focais, olhando para a experiência da pessoa usuária final.


Quer aprender a pensar nos serviços como um todo, mapeando todos os pontos de contato que ele possa ter? Então, vem para o nosso curso de Design de Serviços, com a Juliana Crizo, que acontece nos dias 30 e 31/10: https://www.mergo.com.br/design-servicos/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima