Matriz CSD: o que é e como utilizá-la nos seus projetos

Exemplo de Matriz CSD

Quem já trabalhou com projetos sabe: a gente começa cheio de dúvidas, poucas certezas e algumas suposições aqui e ali. E claro, no meio do caminho muita coisa muda! O projeto é vivo e vai ganhando corpo à medida que trabalhamos nele e com ele. E para acompanhar essas mudanças uma ferramenta muito utilizada é a Matriz CSD, criada pela Livework, uma consultoria de design de serviço.

O seu nome vem exatamente das certezas, suposições e dúvidas que podem haver em um projeto. E a sua função é fazer com que o grupo consiga, de uma forma mais visual, encontrar respostas sobre o futuro do projeto, sabendo no que focar.

Ela consiste basicamente em uma matriz de três colunas e em cada uma, são anotadas as certezas, suposições e dúvidas acerca do projeto. E essas afirmações ou perguntas podem ser referentes a qualquer aspecto, como o público-alvo, as motivações, desejos, objetos, processos, aspectos comerciais etc.

À medida que o projeto for avançando e descobertas forem sendo feitas, as anotações mudam de coluna, entendendo o que realmente é uma certeza e eliminando suposições e dúvidas.

Essa matriz pode ser feita em diversos formatos: online, através de ferramentas como Mural ou Trello, em planilhas de Excel, post-its ou em em uma lousa. Como a sua equipe se sentir mais à vontade para trabalhar!

A Matriz CSD deve ficar ativa durante todo o projeto, para que o time consiga visualizar os avanços e ter um retrato do que já se sabe e o que se deseja descobrir.

Quando usar a Matriz CSD

O ideal é que desde o começo do projeto faça-se a Matriz CSD, assim, será possível acompanhar toda a evolução das descobertas nas diversas áreas. E logo de cara, já é possível entender o que cada um sabe do projeto, como o enxerga e quais desafios que esperam ter.

E você pode utilizar essa matriz para direcionar as primeiras pesquisas do projeto. Seja para esclarecer as dúvidas ou confirmar as suposições e certezas. É importante que ela seja revisada constantemente, até que todas as dúvidas sejam resolvidas, as certezas estejam constatadas e as suposições esclarecidas.

O resultado é que, à medida que os post-its vão avançando, o time vai entendendo, junto, os próximos passos a serem realizados no projeto.

Como utilizar a Matriz CSD

Como falamos, a Matriz CSD consiste em três colunas: certezas, suposições e dúvidas:

Exemplo de matriz csd

O ideal é que cada pessoa anote as suas próprias considerações, de acordo com a sua visão do projeto. Em seguida, o time vai debater para entender o que realmente vai ficar em cada coluna. Afinal, o que pode ser suposição para um, pode ser a certeza de outra pessoa. Por isso, é importante que haja um alinhamento de todo o time e que seja acordado cada ponto que ficará ao final.

Entenda o que deve ser colocado em cada coluna:

  • CERTEZAS: tudo que é considerado verdade absoluta
  • SUPOSIÇÕES: normalmente, aqui ficam as opiniões divergentes e o que se acredita ser real, mas ainda não é possível provar
  • DÚVIDAS: tudo o que é desconhecido sobre o projeto

Esses pontos podem se tornar o objeto de trabalho de um Design Sprint.


Quer aprender a fazer pesquisas para produtos digitais? Inscreva-se no curso de UX Research, da Mergo, que acontece nos dias 30 e 31 de outubro: https://www.mergo.com.br/ux-research/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima