Energia faz parte da experiência

Talvez você já tenha passado pela situação (assim como eu) de entrar em uma unidade do Starbucks atrás de um ponto de energia de fácil acesso e sem custo, ou mesmo já vasculhou todos os cantos de um aeroporto em busca de uma tomada enquanto esperava o embarque. A verdade é que todo usuário de smartphone já passou pela situação de estar sem bateria. Eu com meu iPhone passo por essa situação todos os dias.

Pode ser que assim como eu você tenha um smartphone que oferece milhares de recursos, uma boa câmera, ótimas apps, conexão 3g ou 4g, redes sociais, games e muito mais. Porém, apesar dos inúmeros recursos, você lá no fundo sabe que não poderá desfrutá-los o dia todo sem que para isso volte a carregar seu smartphone ao menos uma vez no decorrer do dia.

Esse post se refere exatamente a isso: energia faz parte da experiência.

De nada adianta termos tantos recursos se não podemos usufruí-los sem preocupação. Para que um smartphone possui uma grande possibilidade de brilho em sua tela se não podemos utilizá-lo? Para que temos diversos games instalados se ao usar sabemos que a bateria irá embora em poucas horas? Qual usuário de smartphone já não tem experiência suficiente para saber os recursos que esgotam facilmente uma bateria, e tomam providências como:

  • Deixar o brilho em 50% ou 60%;
  • Desabilitar as vezes o 3G durante o dia;
  • Não utilizar jogos;
  • Não usar o chat do Facebook e sim o Whatsapp;
  • Não utilizar muito o recurso de áudio do Whatsapp.

Então volto a perguntar: de que vale termos dezenas de recursos em nossos smartphones se não podemos usá-los?

Sabemos que para manter os nossos smartphone vivos, precisamos andar com um cabo de alimentação na bolsa a todo momento, se possível com adaptadores para os eventuais modelos de tomadas diferentes, utilizar o escritório para carregar o smartphone antes de sair a noite, ou então, fazer uso de um local no meio da cidade para poder carregar seu smartphone.

A falta de energia na bateria do Smartphone impacta muito negativamente na experiência de uso do produto. Eu pelo menos estou saturado de procedimentos de emergência, tal como entrar em “modo avião” para economizar energia, utilizando a rede somente quando necessário, e perdendo assim temporariamente a minha conexão com o mundo. Estamos sempre a mercê de uma rotina ou da nossa memória.

Sem bateria = experiência negativa

Sabemos que podemos comprar uma bateria reserva, ou que podemos optar por um case com bateria embutida, e até mesmo andar sempre com os nossos cabos (o que te deixa refém do tempo de carregamento). Sabemos também que nenhuma dessas soluções nos agrada. Gostaríamos mesmo que a bateria durasse mais.

O ponto-chave dessa reflexão é: energia faz parte da experiência do usuário. Acredito que o que vai revolucionar de fato o mercado não são os novos recursos dos dispositivos, mas sim soluções que administrem energia para usar todos esses recursos de um smartphone em um mínimo de 24 horas. Existe um custo para isso? Sim, tais tecnologias atualmente são caras, e iriam encarecer o aparelho. No entanto, já existem muitas outras tecnologias que o encarecem sem serem tão essenciais quanto a energia para o seu funcionamento. Smartphone sem energia é um aparelho sem uso.

Uma gama de soluções simples nos vêm a cabeça, e algumas acabam se transformando em produtos, como o case para iPhone que vocês podem ver no vídeo abaixo, e que carrega o aparelho através de energia solar.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=WUlznYJyEfE?rel=0]

Claro que esta não é a melhor das soluções, mas é um esforço na direção certa. Talvez, ao invés de trabalhar em baterias que durem mais, seria mais fácil a curto prazo pensar em baterias que fossem carregadas mais rapidamente. Quando você precisa ficar preso a um local esperando a bateria do smartphone carregar, perde-se todo o conceito de mobilidade que esses aparelhos deveriam proporcionar.

De nada adianta um recurso fantástico se não pudermos utiliza-lo sem preocupação. A experiência do usuário não começa no uso de um recurso, mas no acesso ao mesmo.

0 comentário em “Energia faz parte da experiência”

  1. Falou tudo! Eu complemento lembrando o tamanho da oportunidade que muitas empresas como cafés, restaurantes, companhias aéreas, etc… não estão perdendo ao deixar de disponibilizar uma tomada a disposição para essa massa de pessoas que não vive sem smartphone. Dia desses peguei um táxi no Rio e tive uma surpresa deliciosa, atrás do banco do carona, pendia quase uma dezena de tipos de cabos para q o cliente carregasse o celular durante a corrida! Fiquei satisfeitíssimo.
    Lembro também de uma confeitaria no centro de Porto Alegre (rua dos Andradas), que vende um milhão de guloseimas, mas mantém sempre em fogo alto um velho fogão a lenha, onde fervilham vários bules de chá, o qual é servido gratuitamente para os clientes que chegam para lanchar. As vezes, pequenos gestos melhoram muito a experiência do cliente!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima