Como analisar dados qualitativos com John W. Creswell

John W. Creswell, em seu livro “Projeto de Pesquisa: Método qualitativo, quantitativo e misto”, apresentou seis passos para organizar a análise de dados qualitativos.

Imagem — Freepik

Em geral, usa-se pesquisa qualitativa quando não temos uma hipótese definida e o objetivo da pesquisa é explorar o mercado ou o comportamento da pessoa usuária. Aqui, vamos descobrir as razões para determinadas decisões por parte da pessoa consumidora e como isso foi construído nela.

Depois de aplicada a pesquisa, vem a parte da análise dos dados. E esta não é uma etapa fácil. Em geral, as respostas são subjetivas, com argumentação e fica mais difícil extrair o que realmente é a informação relevante. É preciso sempre ter em mente que os dados não são conhecimento. Eles só adquirem esse status após o processo de análise.

E exatamente por ser uma análise mais trabalhosa que muitos profissionais ficam perdidos. Como começar? Por onde? Como separar esses dados para, finalmente, fazer a análise necessária?

John W. Creswell, famoso pesquisador de métodos de pesquisa e professor na Universidade de Nebraska-Lincoln, trouxe em seu livro “Projeto de Pesquisa: Método qualitativo, quantitativo e misto” seis passos que vão te ajudar a organizar essa análise. Vamos conhecê-los a seguir:

Passo 1: Organizar e preparar os dados para análise

Esta primeira etapa envolve transcrever entrevistas, fazer leitura do material, digitar notas de campo ou classificar e organizar os dados em diferentes tipos, dependendo das fontes de informações.

Passo 2: Ler todos os dados

Aqui, é indicado obter um sentido geral das informações e fazer uma reflexão acerca delas. “Quais ideias gerais os participantes expõem? Qual é o tom dessas ideias? Qual é a impressão geral sobre profundidade, credibilidade e uso das informações?”, questiona Creswell em sua obra.

Algumas vezes, os pesquisadores qualitativos fazem anotações nas margens ou começam a registrar considerações gerais sobre os dados nesse estágio.

Passo 3: Começar a análise detalhada com um processo de codificação

A terceira etapa envolve a codificação das informações obtidas. Ou seja, tomar dados em texto ou imagens, segmentá-los em categorias e rotular essas categorias com um termo, geralmente baseado na linguagem real do participante (conhecido como in vivo).

Passo 4: Gerar temas ou categorias pelo agrupamento de tópicos semelhantes

Fazer uma descrição envolve o fornecimento de informações detalhadas sobre pessoas, locais ou fatos em um cenário. E os pesquisadores podem gerar códigos para essa descrição. Em seguida, deve-se usar essa codificação para gerar temas ou categorias pelo agrupamento de tópicos semelhantes.

Esses temas são os que aparecem como principais resultados nos estudos qualitativos. Eles devem mostrar perspectivas múltiplas das pessoas e ser fundamentados por citações e evidências.

Passo 5: Prever como a descrição e os temas serão representados na narrativa qualitativa

O método mais conhecido é usar uma passagem narrativa para transmitir os resultados da análise realizada. “Pode ser uma discussão que mencione uma cronologia dos fatos, a discussão detalhada de diversos temas (completa, com subtemas, ilustrações específicas, perspectivas múltiplas das pessoas e citações) ou uma discussão com temas interconectados”, pontuou Creswell.

Muitos pesquisadores qualitativos também usam elementos visuais, figuras ou tabelas como complemento para as discussões.

Passo 6: Fazer uma interpretação ou extrair significado dos dados

Chegou a hora de aprender quais as lições que essa pesquisa deixou. E isso pode ser feito através de interpretação pessoal de quem realizou a pesquisa, bem como através de comparação com informações coletadas na literatura e teorias já existentes.

A ideia é que os resultados obtidos confirmem informações passadas ou divirjam delas. Isso pode resultar em novas questões que precisam ser respondidas e não foram previstas no começo do estudo. Aí, entram as perguntas adicionais.

Analisei, e agora?

É importante frisar ainda que, tão importante quanto fazer a análise correta dos dados é validá-los. E embora essa validação ocorra em todos os passos do processo, é importante garantir que as conclusões a que chegamos realmente refletem a realidade.

Em seu livro “Projeto de Pesquisa: Método qualitativo, quantitativo e misto”, Creswell apresentou oito estratégias fáceis de implementar e que vão ajudar nessa validação. Confira:

  1. Fazer uma triangulação de diferentes fontes de informações, examinando as evidências e usando-as para criar uma justificativa coesa para os temas.
  2. Apresentar o relatório às pessoas participantes para saber se elas o consideram preciso.
  3. Usar descrição rica e densa para transmitir os resultados.
  4. Esclarecer os vieses que o pesquisador traz para o estudo.
  5. Apresentar informações negativas ou discrepantes que vão contra os temas.
  6. Passar mais tempo em campo, o que ajuda a desenvolver entendimento profundo do que se estuda.
  7. Usar interrogatório de pares para aumentar a precisão do relato.
  8. Usar um auditor externo para rever o projeto todo.

E agora, ficou mais fácil fazer a análise e validação dos dados resultantes de pesquisas qualitativas? A gente espera que esse artigo te ajude e se você quiser saber mais sobre pesquisa qualitativa, confira nossos artigos sobre o assunto, clicando aqui!


Inscreva-se na Formação em UX Design e aprenda, na prática, a construir a melhor experiência para as pessoas usuárias! Nova turma a partir de 26/01/2022: https://www.mergo.com.br/formacao-ux/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima