#PegaaDica: Proposta de valor — como desenvolver e como construir

Criar uma proposta de valor para o seu produto ou serviço é importante e facilita vender e propagar o que você faz. Mas nem sempre é algo simples de desenvolver.

Muitos profissionais, times e até mesmo empresas sabem o valor daquilo que criam, mas não sabem transmitir isso da forma correta.

A gente sempre recomenda para os nossos alunos um vídeo muito interessante do Viva Decora Pro — Arquitetura e Marketing. Nele, o Diego Simon, fundador da empresa, traz de forma bem dinâmica as 7 etapas que ele indica para construir uma boa proposta de valor para o seu negócio.

E se você acha um pouco estranho aprender a fazer uma proposta de valor com o pessoal da área de arquitetura, saiba que a troca é riquíssima e que independentemente da área, a base do desenvolvimento de uma proposta de valor é a mesma: análise do perfil do cliente, do perfil do seu negócio e como tudo isso se encaixa da melhor maneira. E claro: como comunicar isso da forma correta e atrativa para o mercado.

Confira:

https://www.youtube.com/watch?v=4vfWH_Q1EaM

Veja, a seguir, nosso compilado das 7 etapas para construir uma proposta de valor:

1. O risco de ser generalista

Ao optar por ser generalista, é difícil se apresentar e posicionar no mercado de forma diferenciada, bem como é difícil ser bom em tudo. O ideal é escolher áreas em que você se destaca e se especializar — e sim, você não precisa ser especialista em uma única coisa. Você pode criar um pequeno leque.

2. Atente-se ao círculo dourado

A ideia, desenvolvida por Simon Sinek, fala da importância de você trabalhar primeiro o porquê, depois o como e só então, o que. Uma lógica invertida, se comparado ao que as pessoas e empresas fazem normalmente. Então, comece comunicando seus propósitos, seus valores, depois mostre como você trabalha, para, finalmente, dizer o que você faz. Mas sempre pensando na visão do cliente, na linguagem que ele entende.

3. Identifique as necessidades do cliente

Cada cliente tem uma (ou até mais de uma) necessidade específica. E você deve identificá-la para conseguir priorizar. Essas necessidades podem ser: funcionais, sociais (status, reconhecimento) ou emocional.

4. Entenda os tipos de ganho que o seu cliente espera

E eles podem ser: ganho necessário, ganho esperado ou ganho desejado. Ao analisar o seu cliente e entender o que é importante pra ele, você consegue priorizar o trabalho e os resultados.

5. Não menospreze o mapa de valor

Nele, você vai encaixar o perfil do seu cliente e vai identificar o que seriam os analgésicos (ou seja, o que você oferece que sana as dores do cliente, que atende suas necessidades) e os criadores de ganho (o como você vai gerar os benefícios e ganhos que o cliente espera).

6. É importante haver encaixe

O encaixe pode acontecer em duas frentes. Uma é com o mercado, que é quando o cliente se entusiasma com a sua proposta. A outra forma de encaixe é quando o seu modelo de negócio é lucrativo e escalável. E pelo menos uma delas precisa acontecer para que a sua proposta seja bem sucedida.

7. Revise sua proposta

Você precisa se certificar de que está focando naquilo que é importante para o cliente, aquilo que a pessoa realmente valoriza. Se não, a sua proposta de valor pode não apresentar tanto valor assim. E isso faz com que todo seu trabalho seja jogado fora.

E aí, gostou?!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima