Os banners e a publicidade intrusiva

Com aproximadamente 46 milhões de internautas ativos no Brasil, não é precipitado dizer que ainternet se tornou mídia de massa a um bom tempo. Dessa forma, muitas empresas já veem a publicidade online não mais como um mero suporte às campanhas tradicionais, mas como elemento fundamental na concepção do planejamento de mídia. As razões para isso são diversas, entre elas o custo reduzido e o alcance elevado em comparação com as mídias tradicionais, grande capacidade de segmentação e personalização, a interatividade, e uma mensuração instantânea e precisa.

O lado triste disso é ver que boa parte da publicidade online ainda é intrusiva e não respeita a vontade do usuário, tentando força-lo ao clique a todo custo. E o maior vilão disso tudo tem um nome: banner.

A praga do banner

os-banners-e-a-publicidade-intrusiva-1

Na publicidade online, tudo que temos de mais intrusivo nos sites tem relação direta com osbanners, como o excesso de publicidade, os popup’s ou o redirecionamento de links para anúncios.Banner é praticamente um sinônimo de publicidade intrusiva.

Segundo projeções da eMarketer, apesar dos vídeos representarem a área da publicidade online com maior crescimento, os valores gastos com banners representam cerca de 25% dos investimentos em publicidade online, e esse número pode ser maior se considerarmos os investimentos de 45% em Search, em boa parte veiculando banners gráficos e textuais.

O maior problema do banner é o fato de ele ser um formato que, no meio digital, já começou obsoleto. Tendo migrado da mídia impressa, o banner normalmente não explora as possibilidades de interação ou compartilhamento que o meio digital possibilita.

O uso de banners do tipo Over the Page (posicionado em cima do conteúdo) é uma das formas mais utilizadas e intrusivas, e algumas vezes acabam impedindo o usuário de consumir o conteúdo até que haja alguma interação com eles. Mesmo os banners do tipo In Page (posicionado junto ao conteúdo) podem ser extremamente intrusivos quando não tem relação com o conteúdo, ou quando existem em excesso na página. Em alguns casos, o espaço ocupado pelos banners chega a ser maior que o do conteúdo.

Por ser um formato já viciado, cada vez mais a experiência que os usuários têm com banners é decegueira, ao invés da imersão que outras formas de publicidade podem causar. Uma pesquisa dacomScore também já mostrou que o clique não é tão relevante e nem sempre representa eficácia. Muitos usuários simplesmente não querem sair da página na qual estão navegando, o que não significa que não houve interação alguma ou que o banner não causou impacto.

Dessa forma, é preciso parar de tentar fazer com que o usuário clique nos banners a todo custo, e sim investir cada vez mais em peças interativas, que instiguem a curiosidade e que não dependam do clique para atingir o objetivo, como os banners da campanha Get a Mac da Apple.

Get-a-MAC

Faça da forma correta

O que as empresas precisam compreender é que sendo a internet uma mídia social, é de extrema importância que sejam criados espaços onde o público possa se relacionar com as marcas. Para isso, é necessário dar mais atenção a formas de publicidade que contenham uma interface social, que causem imersão através da interatividade, ou até mesmo pensar em uma dinâmica de gameficação. Nesse processo, há espaço para se investir mais em campanhas em vídeo, advergamesmobile, e principalmente nas redes sociais.

Mas se você deseja insistir nesse formato, não será nenhum crime, afinal o banner é hoje a fonte de renda de uma parte substancial dos sites, principalmente de Blogs – que hoje já ganharam ostatus de “empreendimento”. O importante é não ser intrusivo e fazer uso deles da forma correta:

  1. Evite banners Over the page;
  2. Não faça redirecionamentos de links com publicidade;
  3. Faça uso apenas de publicidade que tenha relação com o conteúdo do site;
  4. Não coloque mais banners do que conteúdo;
  5. Cuide para que o banner esteja integrado ao projeto gráfico do site.

E você, como utiliza os banners em seu site? Comente aqui e deixe sua opinião 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima