Por que você deveria usar protótipos navegáveis

Um protótipo navegável é a tradução do projeto digital realizado com base em um wireframe.

Photo by Sigmund on Unsplash

No artigo “Afinal, o que é um protótipo e por que ele é importante?”, você pode entender melhor o conceito de apresentar uma versão simulada de um produto final com o objetivo de testá-la entre as pessoas usuárias. Em resumo, isso é um protótipo. Hoje, vamos falar um jeito ainda mais interessante de apresentar essa versão: os protótipos navegáveis!

O que é um protótipo navegável?

Um protótipo navegável é a tradução do projeto digital realizado com base em um wireframe. Podemos dizer que ele é a evolução do wireframe e pode contar com cores, fontes, imagens, animações etc. que se espera encontrar no produto final.

“Protótipos navegáveis tangibilizam a ideia da equipe e são a primeira visão de como o produto vai ser na ‘vida real’’’.

Com ele, a pessoa usuária vai interagir (ou seja, navegar) por completo, uma vez que esse tipo de protótipo simula a interação final projetada para o produto. E a interação oferecida no protótipo navegável precisa ser o mais próxima da final possível, para que o objetivo seja cumprido.

Com ele, é possível maximizar o entendimento da pessoa usuária, bem como situá-la por completo dentro do seu produto, entendendo as sequências de páginas, o fluxo de navegação…

Nessa fase, a pessoa usuária que participou do teste traz feedbacks, apontamentos, pontos de melhoria e o que realmente se destacou nesse uso.

Quando você usa um protótipo navegável, entre os seus objetivos devem estar analisar:

  • Posicionamento e peso de elementos
  • Navegação
  • Nomes de áreas e seções
  • Interações

Mas, definitivamente, não é o momento de analisar cores, imagens, tipografia… Aqui, a ideia é testar a interação e usabilidade e não o quanto ela é harmônica.

Por que utilizar um protótipo navegável

Os protótipos navegáveis são usados para realizar teste de usabilidade, algo super importante para chegar a uma experiência final satisfatória do seu produto.

E se você ainda precisa de mais motivos para usar protótipos navegáveis em seus testes, confira alguns que, definitivamente, vão te convencer:

  • Possibilidade de testar a acessibilidade da interface no pré-desenvolvimento
  • Fica mais fácil de entender quais são templates
  • É uma forma mais comprometida de documentação do design
  • Fica mais fácil estabelecer uma componentização, já que os softwares permitem a criação de verdadeiras bibliotecas de padrões, que podem ser reaproveitadas
  • Experiência de interface mais tangível e objetiva
  • Feedbacks em relação à navegação e à dimensionar corretamente o tamanho do projeto

3 finalidades para protótipos navegáveis

Os protótipos navegáveis podem ter audiências e finalidades distintas, e o que vai te levar a escolher um ou outro são os requisitos e os objetivos do que você precisa testar ou aprovar.

Veja, a seguir, três protótipos muito comuns e que aparecem com frequência:

  • Para aprovação com cliente: É um protótipo que, depois de apresentado, será testado por pessoas sem que você esteja por perto para monitorar que explicar. Por isso, vale a pena incluir uma explicação do objetivo dele e instruções de uso.
  • Para testes de usabilidade: Nesta opção, é importante que você use conteúdo de verdade — especialmente se a interface for a de um site não transacional, em que o texto precisa ser avaliado. Inclua, também, elementos visuais, ou até mesmo usar o layout já pronto.
  • Para debate interno: Para essa finalidade, os protótipos navegáveis podem ser simples, afinal, o objetivo é validar ideias e ir aprimorando-as. Nesse caso, é interessante realizar uma documentação completa, com todas as regras, interações e especificações necessárias para facilitar o entendimento de toda equipe e para que eles possam acompanhar as evoluções.

Ferramentas para criar o seu protótipo navegável

  • Marvel App: um aplicativo web simples, especialmente em sua versão gratuita. Segundo o próprio aplicativo, ele é “a maneira mais fácil de transformar seus esboços, imagens e maquetes em protótipos realistas para web ou aplicativos móveis”.
  • Invision: ideal para a criação rápida de um layout navegável, uma vez que são criados a partir de simulações existentes que devem ser importadas para o InVision.
  • Facebook Origami: pode ser usado para a criação de um layout navegável ou interações complexas. Com ele, a medida que você altera o layout navegável, uma visualização ao vivo é exibida na tela ou em um dispositivo conectado.
  • Fluid: ferramenta de prototipagem mobile rápida, amigável e muito intuitiva. O editor começa no modo de wireframes e possui outras bibliotecas, contendo mais de 2000 widgets.
  • Notism: é uma ferramenta de apresentação, que permite a seus usuários criar e apresentar seus wireframes.

Usar protótipos navegáveis é tornar os seus testes (seja com pessoas usuárias, com stakeholders ou até mesmo internos) mais precisos e eficazes, trazendo respostas realmente valiosas sobre o seu produto.

Agora que você já sabe sua importância e o quanto ele pode facilitar o trabalho do seu time, é hora de colocar em prática! Alguma dúvida? Conta aqui para a gente!


Inscreva-se na Formação em UX Design e aprenda, na prática, a construir a melhor experiência para as pessoas usuárias! Nova turma a partir de 17/02: https://www.mergo.com.br/formacao-ux/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima