Prototipação e o aprendizado com os erros

Em 2013, o pessoal da IDEO produziu um vídeo chamado Learn From Failure, mostrando como o processo de prototipação e testes nos ajuda a entender a necessidade das pessoas, e assim aperfeiçoar os produtos. A ideia é mostrar que muitas vezes um erro não deve ser visto como um fracasso, e sim como um experimento que te ajudará a aprender.

Então, antes que eu continue a falar sobre prototipação, assista ao vídeo.

[vimeo 69977212 w=320 h=240]

Prototipação: um erro controlado e proveitoso

Quando falamos em design centrado no ser humano – processo onde mantemos o foco nas necessidades, desejos e limitações dos usuários durante todo o projeto, a cada tomada de decisão, desde a concepção até o lançamento de um produto – devemos nos ater a quatro etapas básicas: [1] identificar requisitos, [2] criar soluções alternativas, [3] construir protótipos testáveis e [4] avaliar com usuários.

É inevitável que no decorrer de um projeto, uma empresa ou profissional vá cometendo pequenos erros e equívocos que os vão desviando do objetivo inicial, e que se forem ignorados poderão fazer do produto um grande fracasso. Por isso as fases de prototipação e avaliação com usuários são essenciais quando pretendemos criar produtos inovadores, pois validar as ideias na prática nos ajuda a compreender as pessoas e suas necessidades, seus modelos mentais e os diferentes contextos de uso dos produtos.

Aquela história de que “um grande gênio teve uma ideia brilhante e criou um produto maravilhoso para solucionar os problemas das pessoas” é sempre uma grande besteira. É impossível criar uma solução perfeita sem antes se inserir em um contexto real, colocar-se no modelo mental da pessoa que usará o produto e entender como as necessidades e prioridades mudam através de todo o processo.

Não podemos fugir do erro, mas podemos coloca-lo em um ambiente controlado e seguro para o nosso negócio. Ao invés de perder meses investindo tempo e dinheiro projetando algo para somente após o lançamento perceber que ele é inadequado para os usuários (e assim obter um grande fracasso), realize ciclos de prototipação e testes de usabilidade, de forma a ouvir, pensar, construir e refinar o seu produto antes do lançamento com a ajuda dos verdadeiros especialistas: as pessoas que o utilizarão, e que estamos tentando servir.

Se adotarmos a mentalidade certa, vamos inevitavelmente aprender alguma coisa com os nossos erros, principalmente aprender a evoluir com eles 😉

Prototipação feita pelos meus alunos do curso de Arquitetura de Informação
Protótipo navegável feito pelos meus alunos do curso de Arquitetura de Informação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima